sábado, 7 de julho de 2012

Sem justificativas


Ando procurando justificativas para o que eu faço, o que sinto, o que penso...
Mudei muito com o passar dos anos, mas tenho uma essência romântica que muitos confundem com inocência.Não sou inocente, apenas quero ver o lado bom das pessoas , mesmo sabendo que o mal existe.
Não sou puritana, aceito a evolução dos relacionamentos, tudo depende do contexto, e ninguém pode julgar estando do lado de fora. Mas continuo prezando o sentimento, pois sem ele, os relacionamentos viram jogos de interesses.
Analiso as pessoas devagar, acho que é com o tempo que as conhecemos, e um erro não pode destruir as outras nove vezes que acertamos, estamos nesse mundo para aprender.
Sou tão transparente que acham que sempre tem uma intenção oculta, mais é tão simples; sou o que vêem, sou o que falo, sou puro sentimento, mais não sou passional, tenho limites.
Não desisto fácil, com o passar do tempo e a verificação de que estou no caminho errado simplesmente canso e parto para novas perspectivas, não cultuo o sofrimento, já passei dessa etapa, quero mais é ser feliz.
Erro por ser intensa, por correr atrás da minha felicidade, por usar quase sempre o coração e a intuição em minhas escolhas; mas pelo menos não me arrependo de não ter tentado, não me cobro mais tarde o que poderia ter sido.
Procuro somente somar os momentos de felicidade, de sonhos, de amor, e me sentir completa.
Nada me justifica, nem minhas defesas ou minhas palavras, mais quando eu olhar para trás, vou ter histórias para contar, pessoas para lembrar e amores para recordar, para pelo menos explicar o porque fui e agi assim...
Não me cobro perfeição; aprendo mais com os meus erros do que com as experiências dos outros.
O mundo dá muitas voltas, e os caminhos podem se cruzar sem se planejar, pessoas que te julgavam podem estar no seu lugar agora e o que era verdadeiro em determinado momento pode ter outro significado hoje.
Peço somente sabedoria para passar tudo o que tenho que passar; e paciência, porque tudo tem sua hora de acontecer, até o amadurecimento; cada um tem o seu tempo, o meu é diferente do seu, o meu depende de fatores que talvez o outro não esteja vivênciando naquele momento, e vice versa.
Sou simples assim, sem justificativas, só sentimento e vontade de ser feliz!



Fonte foto: Flávia Corrêa

5 comentários:

  1. E a gente continua pagando por ser apenas a gente mesmo. Mas vale à pena, vale o preço sempre bjs

    ResponderExcluir
  2. Justificativas... O essencial é invisível aos olhos! Já dizia a velha máxima. Diante disso, penso que a justificativa mais danosa mesmo é aquela em que nos obrigamos a fazer, e sem perceber, sem sentir. É quando, de repente nos vemos satisfazendo não a nossa essência, mas a que o mundo espera que tenhamos. Padrões de conduta apenas norteiam socialmente mas jamais devem substituir o livre arbítrio e, dentro dele, a indivualidade de cada um. Um beijo Flávia!

    ResponderExcluir
  3. Justificativa,
    pra evitar de cair em tocaia
    ou pra poder cair na gandaia
    seja real ou imaginária
    seja ela fútil ou necessária,
    pra escapar da vida ordinária
    ou pra sobreviver dentro da solitária
    é sombra dos nossos passos.
    Sem justificar os passos, não há caminho.
    nem casa nem vizinho. Não há árvore, tampouco ninho. Não há nós nem eu sozinho. Não há nada.

    ResponderExcluir
  4. É difícil, mas nossos ideais vão à nossa frente. Parabéns pelo blog e pela postagem! Prazer estar aqui! Com tempo, venha rir e chorar com DOROTÉIA, a passiva fumante. º~º http://jefhcardoso.blogspot.com Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Nós somos assim, não temos justificativas para sermos como somos. Se existe alguém que não aceite nosso modo, problemas delas. Não nascemos para agradar a todos. O belo da vida é sermos diferentes e ver a vida da nossa maneira, aproveitando cada segundo que nos é concedido. A vida é uma graça de Deus é o nosso maior tesouro.
    Abraço

    ResponderExcluir

Vamos interagir?