segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Questão de bom senso


Descobri que eu não sei o que quero para mim, mas sei muito bem o que não quero!
Uso esta filosofia de vida para ir eliminando o que sei que não vai me trazer benefícios, felicidade e evolução.
Nem sempre acerto, mas costumo me poupar de aborrecimentos futuros, fazendo esta seleção.
A regra é simples, se consigo tirar da minha vida, é porque não vai me fazer falta.
Uso indagações para analisar se o que eu quero é o que realmente desejo para mim. Pergunto a mim mesmo se não é capricho, se daqui algum tempo esta conquista terá a mesma importância, e se vai me fazer crescer de alguma forma.
Só que analiso de um jeito crítico, baseada nas minhas experiências passadas e embasada num auto conhecimento profundo, para saber o que eu não quero para mim.
Assim consigo me poupar de 90% das desilusões e frustrações.
É uma técnica simples de autodefesa. Ninguém é obrigado a ser ou a fazer o que não quer. Mas se quer, tem que assumir os riscos e a responsabilidade dos seus desejos.


Fonte foto: Alexandre Curty

3 comentários:

  1. O seu post fez-me lembrar um poema de José Régio, que termina da seguinte forma:
    "...
    Não sei para onde vou
    Sei que não vou por aí!"

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga, tenha uma linda semana. Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Pôxa,quanta filosofia em tão poucas palavras!
    Realmente, precisa ser lido com os olhos da Alma!Parabéns.

    ResponderExcluir

Vamos interagir?