quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Crise dos pré 40 anos

Analisando uma entrevista no GNT com Gilberto Gil, falando sobre estar velho, sobre a idade dele, constatei que ao contrário dele, que se sente jovem depois dos 70 anos, sempre me senti velha, me dei o direito de estar jovem depois dos 36 anos, mas mesmo assim esporáticamente.
Não escolhi ser assim, fui levada a isso, por criação, princípios, vivências e a própria vida, mas não sou vítima disso, sou consequência.
A velhice física é difícil de ser aceitada, ver seu corpo mudar, sua resistência diminuir, seu brilho apagar um pouco, é estingante, te faz repensar muita coisa, e no meu caso me dá uma sede de viver o que não vivi sendo "velha"   quando eu tinha o corpo de uma jovem.
Deixei de viver loucuras normais da adolescência, alegrias espontâneas dessa idade, deixei de ser inconsequente quando podia, quando não existiam tantas cobranças, pulei fases.
Agora estou aqui, perto dos quarenta...
Esse texto não vai me levar a mudar nada, só a diagnosticar meu estado de espírito; mas fazer o que, admitindo não ter vivido, admitindo ter me cobrado tanto, vendo o que eu perdi, devo crescer espiritualmente.
Ainda sei que tenho muito tempo para viver, dentro dos meus limites da idade, sei que posso ainda ser jovem, ter meu espírito mais jovem e é nisso que vou me apegar.
O tempo é implacável, mas trás tolerância, sabedoria, paciência, experiência, olhar com menos julgo, aceitar mais o outro como ele é.
Preciso somente me adaptar, conciliar meu corpo com a minha vontade de viver, de ser jovem. Deixar de ser "velha" e me cobrar tanto.
Preciso ser feliz como eu sou, com a idade que tenho e com o que essa idade acrescentou em mim ...

4 comentários:

  1. Boa noite! Já sigo o seu blog há algum tempo e agora gostava de partilhar o meu. http://umbrindeafrustracaodacondicaohumana.blogspot.pt/
    visite e deixe a sua opinião :)

    ResponderExcluir
  2. A velhice efetiva acontece quando o ser humano para de sonhar, desejar, fazer planos, amar e então cita suas frases: no tempo em que eu...
    David Naimaier

    ResponderExcluir
  3. Passando pela net encontrei o seu blog, estive a folhear achei-o muito bom, feito com muito bom gosto.
    Tenho um blog que gostava que o conhecesse e se desejar faça uma visita ao peregrino E Servo
    Que haja paz e saúde no seu lar.
    Sou António Batalha.

    ResponderExcluir
  4. Flávia, você é uma menina. É assim que eu te sinto!Cheia de sonhos e acreditando sempre no bem, não só através de palavras, mas também de atitudes. Tenho certeza disso. Beijo no seu coração!

    ResponderExcluir

Vamos interagir?