segunda-feira, 2 de maio de 2011

O emocional


Deixamos a nossa vida sentimental comandar o nosso humor, o nosso desempenho profissional, a nossa vontade de se socializar; nem sempre damos conta de controlar.
É inerente a nossa vontade.
O amor é mola propulsora. Quando estamos amando rendemos mais, sorrimos mais, o mundo fica pequeno para tanta felicidade.
Uns conseguem separar mais que os outros, mais não tem como não influenciar.
A falta de amor, trás amarguras, melancolias, nostalgias...
O amor preenche, incentiva, motiva...
Somos seres dependentes do emocional, mas não escravo dele.
Como tudo na vida, temos que dosar; nem tanto emoção, nem tanto razão.
Ser insensível ao que acontece na sua vida emocional é se tornar frio, calculista ou até mesmo amargo, mais , deixar o emocional interferir na sua vida externa, e se transformar em um ser passional, as vezes em casos extremos, doente; é deixar se dominar por pensamentos e sentimentos, que com certeza atrapalharão seu desempenho no social e no profissional .
O segredo está na dosagem entre o que você sente e o uso que você faz desse sentimento.




Fonte foto: Estevão Jacomete

2 comentários:

  1. Oi Flavia...

    eu concordo com vc...brilhante seu texto...podemos viver sem amor sim...e isso nos afeta...mas tb podemos dosar até onde pode nos afetar...sem que se torne uma patologia....

    meu carinho!

    Zil

    ResponderExcluir
  2. amei!!! vc é ótima, plima!!!

    ResponderExcluir

Vamos interagir?